Hoje

Aulas, aulas e mais aulas...

Posts recentes
« Quer ser vegetariano? Seja, e seja feliz - mas não fique impondo isso aos outros! | Main | Por que ainda não fiz minha prestação de contas: um diário bem-humorado »
Friday
Mar012013

O que fazer quando você é convidada por... ser mulher?

Caros leitores do outro lado da tela, uma ajudinha mental, por favor. A questão é a seguinte: semana que vem temos o dia internacional da mulher, e eu recebi há alguns meses um convite gentil para ser palestrante de um simpósio de Mulheres na Ciência. Entendi que a proposta não era discutir as dificuldades de fazer ciência sendo mulher, e sim apresentar mulheres cientistas. Se fosse para comentar as particularidades de ser cientista mulher, eu teria topado na hora. Mas eu tenho um dilema moral paralisante sobre ser convidada a palestrar POR ser mulher, então levei semanas sem responder. O convite foi gentilmente repetido, então expus meu dilema, fui gentilmente assegurada de quão importante seria minha participação... e acho que continuei paralisada por meu dilema moral e não respondi - o que quer dizer que não estarei lá na sexta-feira que vem.

As razões do meu dilema: (1) não gosto de reforçar segregações de gênero, e portanto não gosto de endossar eventos do tipo "Mulheres nisso ou naquilo". Acho que um evento chamado "Homens na ciência" seria prontamente repudiado, não? E (2) entendo a razão de ser de ações afirmativas, mas, francamente, acho que elas são desmoralizantes ao passar a mensagem pública de que "você foi escolhido porque é _______", e não pelo seu mérito. 

Ou estou exagerando e deveria, sim, ter aceitado o convite? Como vocês vêem, não estou convicta nem que sim nem que não - donde a paralisia mental para responder ao email mencionado. Argumentos pró, contra, ou mais ou menos, por favor? :o)

EmailEmail Article to Friend

References (6)

References allow you to track sources for this article, as well as articles that were written in response to this article.

Reader Comments (28)

Pense pelo lado prático: por ser mulher, muitas vezes a vida te dá desvantagens que você não tem poder pra recusar.
Quando você tem uma vantagem por ser mulher (vamos supor que é o caso) você não aceita?
Acho bobagem! E como está em dúvida, vá! Se tivesse certeza que não quer, tudo bem, não ir. Mas na dúvida, acho que deveria ir pois se não está plenamente convencida, ao menos quem irá te assistir achará muito importante sua presença.

March 1, 2013 | Unregistered CommenterDoAssogue

Acho que a ideia desse tipo de evento é que você, e outras palestrantes, possam servir de "role model" para jovens que queiram seguir a carreira científica.

Me parece algo bastante aceitável, que não afeta a diginidade de ninguém, e que não podeira ter sido feito por um homem com o mesmo efeito.

March 1, 2013 | Unregistered CommenterEduardo

Aceita Suzana. E leva seu dilema, vamos provocar este ponto de vista! Gostei dele, e me sinto hipermegaincomodada também!

March 1, 2013 | Unregistered CommenterPaula Rubim

Obrigada pelos comentários. Pois é, entendo a posição de vocês, e essa seria minha maior razão para aceitar. Mas acho que também gostaria de aproveitar a oportunidade para dizer que me incomoda a razão desse tipo de convite... acho que, se eu encontrar uma maneira ainda gentil de explicar, no evento, na frente do meu anfitrião, por que o convite me causa um dilema, eu passo a aceitar convites assim...

Estou totalmente de acordo com o seu ponto de vista de tentar privilegiar o mérito e não gênero (raça, etnia ou qualquer outra característica).
Também concordo que ações positivas são apenas uma forma de maquiar o preconceito.
Eu concordo com o video do Morgan Freeman sobre racismo (http://www.youtube.com/watch?v=lTQ3SVP6Nvc). A solução para o preconceito ou desigualdade não está apenas em ações positivas mas na visão de que de fato somos iguais.
Talvez você devesse ir evento. Mas não por ser mulher em um evento de mulheres mas por pensar diferente. Usar a posição de destaque para chamar a atenção para posturas e opiniões não óbvias.
Acho que isso faria mais diferença do que afirmar que existem mulheres competentes (o que é óbvio).

March 1, 2013 | Unregistered CommenterHeider

Você está resumindo as opções válidas para ser convidada a apenas uma: mérito. Por quê isso?

Quando você fala do seu dilema me parece que você esta se policiando pra não dar a impressão às outras pessoas de que está se aproveitando do clássica estratégia do sexo frágil favorecido por ser mulher e não por ser capaz. Viajei demais?

Usando um paralelo com o reconhecimento masculino, se é para sermos iguais, vejo muitos homens aceitando convites por motivos diferentes de mérito e mas não vejo as pessoas achando isso estranho. Existem muitas razões para se mostrar em um evento desses e não apenas o mérito.

Concordo com o Eduardo quando ele fala que o objetivo é dar visibilidade a mulheres em áreas em que a cultura dita que são masculinas. O objetivo, a meu ver, é bem esse, não propagar idéias científicas, mas sim mudar a cultura de aceitação da mulher na carreira científica.

Se somos iguais, se queremos a igualdade entre homens e mulheres, precisamos desestressar um pouco e deixar de agir de acordo com nossas culturas, com a nossa criação machista patriarcal e tentar um agir diferente, não apenas reativo ( só faço por mérito ) mas também de criar uma nova cultura em que as mulheres são convidadas, não por serem sexo frágil, mas por serem representantes de uma nova cultura, uma cultura em que a mulher não se policia por ter sido agraciada por um convite honorífico.

Sinceramente, espero que você vá e que ajude as suas colegas palestrantes a fomentar a cultura de que mulheres e homens são diferentes - afinal, não somos todos diferentes, ainda que do mesmo sexo? -, mas as possibilidades são as mesmas.

Um abraço!

March 1, 2013 | Unregistered CommenterFábio Coelho

Creio que vc tenha total liberdade, de pelo menos, deixar algo do tipo "disclosure message", contendo o teor de seu dilema.

E acaso tenha mais liberdade, de preparar o que irá debater e falar, você poderia exatamente focar em sua resistência a este tipo de convite, pelo menos em parte da exposição, e conduzir para o tema que te atraiu mais a palestrar.

March 1, 2013 | Unregistered CommenterLivio

Sim, Livio, minha questão é se eu conseguiria expor meu dilema e minha oposição à eventos panela (no caso, pelo critério "ser mulher") sem constranger meu anfitrião. E Fábio, obrigada pelos comentários, mas eu não tenho NEHUMA questão com mérito. Não tenho a menor dúvida de que fui convidada por mérito; não acho que tenha sido sorteada aleatoriamente dentre todas as mulheres cientistas do RIo de Janeiro. Meu problema é com o princípio de organizar um evento chamado "mulheres na ciência" ou algo assim, que, de cara, atrai um público predominantemente feminino (não?). Não gosto de panelas, brigo contra panelas, então não quero endorsar panelas... sobretudo uma baseada puramente em uma característica física.

Agora, também sei que um evento chamado "mulheres na ciência" ainda assim tem uma razão histórica de ser muito maior do que eventos do tipo "louras na ciência" ou "pessoas-que-têm-pinta-do-lado-esquerdo-do-rosto na ciência". Mas me incomoda.

Como já falaram acima, uma estratégia seria aceitar o convite e expor os desconfortos em relação à mesa: o que significa falarmos de mulheres na ciência?
E, pq não, aproveitar para expor também as dificuldades de ser mulher e cientista.

Sem entrar na espinhosa questão do mérito, basta pegar por exemplo a relação entre homens e mulheres pesquisadores 1A no CNPq e comparar. Em 2011, só 23% das bolsas 1A foram para mulheres (http://www.cnpq.br/documents/10157/f865e679-aee2-4c5d-b60f-b056f759f6d1). Não achei um documento específico que tivesse este dado por cada área, mas consegui encontrar alguns, e a diferença é ainda mais impressionante: na Química, por exemplo, eram só 4,3% de bolsas 1A para mulheres! (vou ficar devendo no momento a fonte desta informação, vou procurar de novo e se achar posto aqui - era em um artigo disponível no Scielo)

Enfim, acho que por mais que a intenção da mesa possa ser boa, acho que iniciativas como esta que querem apenas ilustrar pesquisadoras bem sucedidas que sejam mulheres, me incomodam muito. Mal comparando, causam o mesmo desconforto de quando alguém me dá parabéns ou recebo uma flor no dia internacional da mulher. Se trata de um dia de luta e visibilidade das desigualdades e violências pelas quais as mulheres passam, e não um dia para se "comprar um perfume ou celular na loja tal para presentear as mulheres".

Resumindo, acho MUITO pertinente e necessário uma mesa que discuta gênero e ciência (não só no dia internacional da mulher, claro), mas não desta forma.

March 1, 2013 | Unregistered CommenterMarina

Olha, eu te diria o seguinte: vai. Vai e dá um jeito de falar exatamente isso que escreveu. É um bom ponto de partida pra um debate interessante num tipo de evento que costuma ser um saco.

March 1, 2013 | Unregistered CommenterMarcelo Soares

PostPost a New Comment

Enter your information below to add a new comment.

My response is on my own website »
Author Email (optional):
Author URL (optional):
Post:
 
Some HTML allowed: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <code> <em> <i> <strike> <strong>